Os chás terapêuticos

29/agosto/2012

A manutenção da saúde pelo consumo de ervas tem sido objetivo de diversas pesquisas, sendo assunto de interesse de diversos profissionais da área da saúde, na medicina chinesa, ayurvédica, xamãs, cientistas e leigos. O ponto de partida de muitos estudos é o conhecimento popular milenar (passado de geração para geração) acerca dos potenciais das plantas.

Para aprender a utilizar as ervas de forma terapêutica, é necessário conhecer um pouco o próprio organismo e as funções exercidas por cada órgão ou sistema. Cada erva possui substâncias – os princípios ativos – que somente produzem efeitos sobre determinadas células. Sua atuação pode ocorrer tanto estimulando quanto reprimindo processos orgânicos, ou seja, operam como reguladoras. Não é recomendado o uso de uma mesma erva por muito tempo, pois podem perder o efeito, viciar ou causar problemas. O indicado é mudar as opções a cada 30 dias.

Simplificadamente, as ervas cumprem três funções básicas:

Ervas depurativas – purificam o corpo e o sangue: agrião, amor-perfeito, angélica, bardana, chapéu de couro, dente de leão, guaco, ipê-roxo, limão, maracujá (fruto e folhas), sabugueiro, serralha brava, tansagem, figo.

Ervas digestivas – facilitam a digestão: açafrão, agrião, alecrim, alfavaca, anis, azedinha, bardana, boldo, camomila, canela, capim-cidreira, carqueja, cebola, endro, erva-cidreira, funcho, jurubeba, laranjeira do mato, louro, macela, manjerona, maracujá, salsa, sene.

Ervas diuréticas – facilitam a excreção das toxinas pela urina: folhas de abacateiro, abacaxi, agião, alfavaca, alfazema, amor do campo, angélica, cabelo de milho, capim-cidreira, carqueja, cavalinha, chapéu de couro, cipó-cravo, coentro, dente de leão, funcho, maracujá, quebra-pedra, salsa, rabanete, unha de gato.

As ervas e os sistemas

Sistema Respiratório

Antigripais: alho, agrião, canela, capim-limão.

Expectorantes (diluem secreções): agrião, assa-peixe, erva de santa maria (mastruz) rúcula.

Antiexpectorantes (amenizam a tosse): guaco, hortelã, limão.

Analgésicas: malva

Anti-inflamatórias: assa-peixe, calêndula, malva.

Sistema Nervoso

Calmantes: alface, capim-limão, erva-cidreira, valeriana, baunilha, aipo, alfavaca (manjericão).

Sedativas (calmantes mais fortes): papoula, maracujá, anil.

Estimulantes: guaraná, hortelã, ginseng, ginkgo-biloba

Sistema Digestório

Digestivas: agrião, alface, camomila, capim-limão, carqueja, dente de leão, erva-doce, hortelão, louro.

Depurativas (auxiliam o fígado na sua função desintoxicante): dente de leão e alcachofra.

Hepáticas: boldo, carqueja, chicória, hortelã.

Vermífuga: erva de santa maria (mastruz), alho, cebola, hortelã.

Antidiarréicas: goiaba (chá das folhas), camomila, pata de vaca.

Laxativas: anis, alcachofra, sene.

Purgativa (laxativo mais drástico): erva de santa maria.

Antiácida: espineira-santa.

Sistema Cardiovascular

Cardiotônicas (estimulam os batimentos cardíacos): espirradeira, dedaleira, canela.

Cardiotônicas brandas: alecrim, salsa, alho, alcachofra.

Reguladoras da pressão sanguínea (aumentam a elasticidade das paredes das vias circulatórias e assim reduzem a pressão): capim-limão, aipo, calêndula, alho.

Antianêmicas: verduras de cor verde escura (decocção a frio ou suco fresco)

Sistema Urinário

Diuréticas: erva-mate, quebra-pedra, boldo, erva-doce, capim-limão, carqueja, congonha do campo, aspargo.

Sistema Endócrino

Tireóide – regula o metabolismo, a temperatura e o crescimento.

Febrífugas (regulam a temperatura): alho, baunilha, canela.

Sudoríficas: arruda, cardo-santo, alfavaca (manjericão).

Pâncreas – produz enzimas digestivas e regula o consumo de açúcar das células

Digestivas (sobretudo aquelas que controlam o diabetes): feno grego, ginseng, pata de vaca, confrei, jaborandi.

Supra-renais – cada uma está situada sobre um rim. Controlam a pressão sanguínea e o nível de sal no organismo.

Pressão arterial: alho, aipo, capim-limão.

Ovários – concedem as características secundárias femininas. Sob estímulos da hipófise secretam dois hormônios cujas oscilações regem a fertilidade da mulher: a progesterona e o estrogênio.

Emenagogas (quando induzem a menstruação): açafrão, alecrim, erva de santa maria (mastruz), arruda, salsa.

Abortivas: erva de santa maria, babosa, arruda, alecrim, jasmim.

Antiespasmódicas (quando reduzem as cólicas): açafrão, anis, calêndula, salsa

Galactagogas (quando induzem o aleitamento): anis e badiana ( hortelã é contraindicada pois inibe a produção de leite).

Afrodisíacas: urucum, mandrágora, catuaba-verdadeira, guaraná, café, pimenta, ginseng, canela.

Anticoncepcionais (impedem a ovulação): estévia.

Testículos – produzem a testosterona hormônios responsáveis pelas características sexuais secundárias masculinas. Regulam ainda a produção do esperma.

Afrodisíacas: urucum, guaraná, mandrágora, catuaba-verdadeira.

Previnem a impotência: ginseng, canela, pimenta. O chá de capim-limão, se consumido em excesso durante algum tempo, pode levar a impotência.

* Tenha sempre cuidados na utilização de ervas, pois a diferença entre um remédio e um veneno é a quantidade que se usa. Por isto em caso de dúvida consulte um fitoterapeuta.

Compartilhe

Cadastre-se para receber nossa programação

Nome:
E-mail:

Fale Conosco

Se quer tirar dúvidas, compartilhar algo, dar uma sugestão ou fazer um elogio, enfim, estamos à postos por aqui. Você pode nos enviar um email para contato@institutoyantra.com.br ou se preferir, preencher o formulario aqui embaixo.

Acesse a área do aluno:

Rua José dos Reis, 708
Vila Prudente – São Paulo
Fone: (11) 2548-4858
WhatsApp: (11) 94035-9771
contato@institutoyantra.com.br
Horário de Atendimento: de 12h às 19h


Busca